A desaceleração da economia da China e a transição para um “novo normal” no século 21

Resumo

A China tem passado por profundas mudanças econômicas desde o fim da década de 1970. As elevadas taxas de crescimento econômico transformaram a China de país pobre e agrícola em uma economia de renda média e industrializada no início do século 21. De todo modo, a partir da eclosão da crise global de 2008, a economia da China entrou em uma nova fase de relativa desaceleração e transição para um “novo normal”, com taxas de crescimento econômico ao redor de 6%. O principal objetivo deste artigo é examinar os fatores que explicam a desaceleração da economia da China no contexto pós-crise global de 2008. Osresultados apontam que a desaceleração da economia chinesa para um “novo normal” é um fenômeno esperado e reflete dinâmicas estruturais de um país que atingiu a renda média. Ao mesmo tempo, o aprofundamento dos desequilíbrios macroeconômicos e a perda de eficiência econômica evidenciam o esgotamento das políticas econômicas adotadas a partir da eclosão da crise global de 2008.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Henrique Dias Manzi, Universidade de Brasília
Graduado em relações internacionais pela PUC-GO. Mestre pela Universidade de Brasília e doutorando na mesma mesma instituição.
Eduardo Viola, Universidade de Brasília
Doutorado em Ciência Política, Univ. São Paulo (1982), Pós-doutorado em Economia Política Internacional - University of Colorado at Boulder (1990). É Professor Titular (Concurso Público) do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília desde 1993, aposentado desde agosto 2018 mas continua ativo na pós-graduação como Professor Senior; Pesquisador 1 B do CNPq;
Publicado
03-08-2020
Como Citar
Manzi, R. H. D., & Viola, E. (2020). A desaceleração da economia da China e a transição para um “novo normal” no século 21. Carta Internacional, 15(2). https://doi.org/10.21530/ci.v15n2.2020.1018