Recursos hídricos, conflito e integração: uma análise construtivista da relação entre Brasil e Argentina

  • Camila Penna de Castro Universidade de Brasília

Resumo

O artigo discute o processo de interação entre Brasil e Argentina no contexto das negociações para aconstrução da usina de Itaipu a partir de uma ótica construtivista. Argumenta-se que ao longo da interaçãoos dois Estados adotaram determinadas práticas representacionais que levaram a uma alteração nasposições subjetivas adotadas antes de 1979. A análise é feita a partir das noções de “identidade papel”,“posição subjetiva” e “auto-restrição” de Wendt (1999). A metodologia utilizada é a análise qualitativa defalas de representantes dos dois Estados – emitidas em pronunciamentos e entrevistas, relatos pessoais,documentos oficiais – com o propósito de identificar a presença de indícios de que tal mudança nas posiçõessubjetivas teria tomado lugar. Indícios tais como: formas de categorização do outro de maneira maispositiva e próxima; expressões de aprovação acerca do comportamento e intenções do outro; percepçãoda cooperação como algo desejável e necessário; e iniciativas ou tratativas recorrentes para a cooperação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
01-06-2011
Como Citar
Castro, C. P. de. (2011). Recursos hídricos, conflito e integração: uma análise construtivista da relação entre Brasil e Argentina. Carta Internacional, 6(1), 4-22. Recuperado de https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/21
Seção
Artigos