Os órgãos governamentais brasileiros e a questão do terrorismo na Tríplice Fronteira: divergências de percepções e convergências nas ações

  • Marcos Alan S. V. Ferreira Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Pesquisador Associado do Instituto de Estudos Econômicos Internacionais (IEEI-UNESP)

Resumo

O presente artigo visa analisar como os órgãos governamentais brasileiros se posicionam frente àsacusações de que a Tríplice Fronteira Argentina, Brasil e Paraguai (TF) sirva como base do terrorismointernacional. A subida do terrorismo como tema principal da agenda de segurança internacional após osatentados de 11 de Setembro, somado ao passado dos atentados em território argentino em 1992 e 1994,fez com que a região entrasse na órbita dos discursos e políticas públicas de combate a essa ameaça.Neste sentido, o pós-11 de setembro exigiu do Brasil uma postura mais clara frente ao terrorismo, assimcomo o apoio a mecanismos multilaterais e respostas de suas instituições de segurança e judiciais.Tendo como metodologia entrevistas in loco e pesquisas bibliográficas, nota-se que a postura dos órgãosgovernamentais do Brasil espelharam uma aparente discordância frente aos EUA que não se concretizouno campo das ações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Alan S. V. Ferreira, Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Pesquisador Associado do Instituto de Estudos Econômicos Internacionais (IEEI-UNESP)
Professor Adjunto no Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Pesquisador Associadodo Instituto de Estudos Econômicos Internacionais (IEEI-UNESP).
Publicado
20-06-2012
Como Citar
Ferreira, M. A. S. V. (2012). Os órgãos governamentais brasileiros e a questão do terrorismo na Tríplice Fronteira: divergências de percepções e convergências nas ações. Carta Internacional, 7(1), 102-117. Recuperado de https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/51
Seção
Artigos