África do Sul e o seu entorno regional

existe um subimperialismo sul-africano?

Resumo

O objetivo deste texto é analisar as relações da África do Sul com seu entorno regional desdeo fim do apartheid, problematizando a noção de que os governos do Congresso NacionalAfricano (ANC) praticam uma política subimperialista. A análise se apoia em documentose entrevistas realizadas na África do Sul, Zimbabwe e Zâmbia. Inicialmente, é apresentadauma visão geral das relações da África do Sul com seus vizinhos, evidenciando a assimetriaque as caracteriza. A seguir, é discutida a tentativa malograda do presidente Thabo Mbekide liderar um renascimento africano sob a égide da Nepad, e seus desdobramentos.A terceira seção enfoca a África Austral, examinando as consequências da expansão mercantilsul-africana em Zimbábue e Zâmbia. Na sequência, discuto, a partir de entrevistas, se essaexpansão corresponde a uma estratégia determinada dos governos da ANC. Nas reflexõesfinais, avanço a hipótese de que, embora constate-se uma assimetria nas relações da Áfricado Sul com seus vizinhos, as debilidades e contradições do Estado e do próprio capitalismosul-africano limitam sua possibilidade de atuação. Como resultado, a expansão regional denegócios sul-africanos se dá à despeito de qualquer estratégia estatal, o que enseja repensara caracterização desse fenômeno como um subimperialismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Luis Barbosa dos Santos, Universidade Federal de São Paulo
Doutor em História Econômica pela Universidade de São Paulo. Professor do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo

Referências

ALENCE. Rod. ‘Trading with the frenemy: how South Africa depends on African trade’. In: KHADIGALA,

NAIDOO, PILAY & SOUTHALL. New South African Review 5. Beyond Marikana. Johannesburg: Wits University

Press, 2015, ps. 284-297.

BOND, Patrick (ed.). Fanon´s warning. A civil society reader on the New Partnership for Africa´s Development.

nd edition. Asmara: Africa World Press. 2005.

______. 'O império norte-americano e o sub-imperialismo sul africano'. Em: PANITCH, Leo; LEYS, Colin. O

império reloaded. Socialist Register 2005. Buenos Aires: CLACSO, 2006.

______. 'Brics and the sub-imperial location'. Em: _____; GARCIA, Ana; BRICS: an anti-capitalistic critique.

Johannesburg: Jacana, 2015.

BOND; Patrick; GARCIA, Ana; BRICS: an anti-capitalistic critique. Johannesburg: Jacana, 2015.

COUSINS, Ben; HALL; Ruth (2018). ‘Exporting contradictions: the expansion of South African agrarian capital

within Africa’. Globalizations, 15:1, 12-31, DOI: 10.1080/14747731.2017.1408335

DELOITTE. South African construction trends. Report, 2015. Disponível em:

<https://www2.deloitte.com/za/en/pages/energy-and-resources/articles/africa-construction-trends-report.html>.

Acesso em 27/10/2018.

FONTES, Virgínia. O Brasil e o capital-imperialismo. Teoria e história. 3ed., Rio de Janeiro: UERJ, 2012.

FUNDAÇÃO ROSA LUXEMBURGO. Empresas transnacionais brasileiras na América Latina: um debate

necessário. São Paulo: Expressão Popular, 2009

GARCIA, Ana Saggioro. A internacionalização de empresas brasileiras durante o governo Lula: uma análise

crítica da relação entre capital e Estado no Brasil contemporâneo. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: PUC, 2012.

GARCIA, Marco Aurélio. A opção sul-americana. São Paulo: Perseo Abramo, 2018.

GOVENDER, G. (2013). Financing for development? The development bank of South Africa and its footprint in

Africa. Internal discussion document. Johannesburg: Action Aid.

HADLER, João Paulo de Toledo Camargo. Dependência e super-exploração: os limites das reflexões de Fernando

Henrique Cardoso e Ruy Mauro Marini sobre o capitalismo dependente. (Campinas) Tese de Doutorado, Instituto

de Economia da UNICAMP, 2013.

LUCE, M. S. O subimperialismo brasileiro revisitado: a política de integração regional do governo Lula (2003-

. Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais, Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do

Sul, 2007.

MAIA, J., MONDI, L.; ROBERTS, S. Industrial Development and Industrial Financein South Africa and Brazil:

A comparative assessment. Trade and UnevenDevelopment: Opportunities and Challenges. TIPS Annual Forum,

MARAIS, Hein. South Africa: Limits to Change. The Political Economy of Transition. Cape Town: University of

Cape Town, 2001.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência. Petrópolis: Vozes, 2000.

NEPAD. ‘Concept note. Nepad 5% agenda: Mobilizing Domestic Pension and Sovereign Wealth Fund Capital for

PIDA and other African Infrastructure Projects’. Setembro 2017. Disponível em:

<http://www.nepad.org/resource/concept-note-nepad-5-agenda-mobilizing-domestic-pension-and-sovereign-

wealth-fund-capital>. Acesso em 27/12/2018.

NEPAD-IPPF. Nepad Infrastructure project preparation facility. Disponível em: <https://www.afdb.org/en/topics-

and-sectors/initiatives-partnerships/nepad-infrastructure-project-preparation-facility-nepad-ippf/>. Acesso em

/12/2018.

OSSA. Office of the Special Advisor in Africa. Financing Africa´s infrastructure development. Policy Brief, 2015.

Disponível em: <http://www.un.org/en/africa/osaa/pdf/policybriefs/2015_financing_infrastructure.pdf>. Acesso em

/12/2018.

PERE, Gareth le. ‘The evolution of South Africa´s foreign policy’. In: KHADIGALA, NAIDOO, PILAY &

SOUTHALL. New South African Review 5. Beyond Marikana. Johannesburg: Wits University Press, 2015, ps. 249-

PIDA. 2017. Disponível em: https://www.afdb.org/en/topics-and-sectors/initiatives-partnerships/programme-for-infrastructure-development-in-africa-pida/. Acesso em 27/12/2018.

SA History online. ‘Xenophobic violence in democratic South Africa.’ Disponível em:

<https://www.sahistory.org.za/article/xenophobic-violence-democratic-south-africa>. Acesso em 27/12;2018.

SADC Regional Indicative Strategic Development Plan 2003. Disponível em:

<http://www.sadc.int/files/5713/5292/8372/Regional_Indicative_Strategic_Development_Plan.pdf>. Acesso em

/1/2017.

SCHOLVIN, Soren; DRAPER, Peter. "The gateway to Africa? Geography and South Africa´s role as an economic

hinge joint between Africa and the world". South African Journal of International Affairs, 19:3, 381-400, 2012.

SIF (Susteinable Infrastructure Foundation). ‘Nepad launches 5 per cent Agenda initiative’ Setembro 2017.

Disponível em: <https://public.sif-source.org/mdbs-infra-news/nepad-launches-5-per-cent-agenda-initiative-bridging-africas-usd-68-billion-infrastructure-finance-gap/>. Acesso em 27/12/2017.

TANDON, Yash. “On Sub-imperialism and BRICS-bashing.” Pambazuka News, May 21, 2014. http://www.pam

bazuka.org/en/category/features/91832/print.

ZAMBIA Development Agency. Report status on privatization as at 30th November 2010. Lusaka: ZDA, 2010.

ZIBECHI Raúl. Brasil potencia. Entre la integración regional y un nuevo imperialismo. Bogotá: Edicionesdesde

abajo, 2012.

Publicado
21-05-2019
Como Citar
Barbosa dos Santos, F. L. (2019). África do Sul e o seu entorno regional. Carta Internacional, 14(1), 31-51. https://doi.org/10.21530/ci.v14n1.2019.882