Desdobramentos da crise financeira de 2007-08: reforma da arquitetura financeira tradicional e inovações no desenho institucional do regime financeiro internacional

  • Marilia Romão Capinzaiki Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Jaime César Coelho Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: Crise Financeira, Instituições Financeiras Internacionais, Regime Internacional, FMI, G20, BRICS

Resumo

O presente trabalho tem o objetivo geral de analisar os efeitos da crise financeira de 2007-08 sobre a atual arquitetura financeira internacional, buscando investigar possíveis mudanças no Regime Econômico Financeiro Internacional. Parte-se da hipótese de que, apesar de seus efeitos econômicos profundos, a crise não gerou uma resposta equivalente ao seu impacto por parte das instituições financeiras internacionais tradicionais. Como resposta, houve reformulação de estratégias de atores soberanos emergentes com maior capacidade de autonomia, embora estas não constituam um desafio direto às instituições do mainstream. Assim, tomando o FMI como uma amostra dessa institucionalidade, inicialmente analisaremos a evolução de seus discursos oficiais e ações no momento posterior à crise. Em seguida, abordaremos a inversão histórica entre membros credores e devedores da instituição e o papel renovado do G20 Financeiro. Por fim, buscaremos demonstrar as limitações das reformas anunciadas e suas consequências, dentre elas, a criação do Novo Banco de Desenvolvimento e do Arranjo Contingencial de Reservas dos BRICS.Recebido em: 26 set. 2014Aprovado em: 17 nov. 2014

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilia Romão Capinzaiki, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Estudos Estratégicos Internacionais (PPGEEI) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na linha de Economia Política Internacional.
Jaime César Coelho, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Professor Doutor de Economia Política Internacional na graduação e pós graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU).

Referências

ALVES, Rodrigo M. A. 2012. Difícil Governança Monetária Internacional: O Caso das Cotas do FMI. Boletim Meridiano 47. Brasília, vol. 13, n. 134, nov-dez.

BHATTACHARYA, Amar. 2012. A Comprehensive Review of IMF Quota Formula: What are the Key Issues? [Workshop] G24 Technical Group Meeting.

BLANCHARD, Olivier; DELL’ARICCIA, Giovani; MAURO, Paolo. 2010. Rethinking Macroeconomic Policy. [IMF Staff Position Note 10/03] Washington: IMF.

BRICS, Fifth Summit Declaration. 2013. Disponível em: < http://www.brics5.co.za/about-brics/summit-declaration/fifth-summit/> Acesso em 03 abril 2012.

______. Declaração de Fortaleza. 2014. Disponível em <http://www.itamaraty.gov.br/sala-de-imprensa/notas-a-imprensa/vi-cupula-brics-declaracao-de-fortaleza> Acesso em 21 de agosto de 2014.

COELHO, Jaime C. 2012. A Política de Empréstimos do Fundo Monetário Internacional: Soberania e Hierarquia na Economia Política Internacional. Revista Tempo do Mundo. Brasília, vol. 4, n.1, p. 179-196.

______. 2012. Reformando as Instituições Financeiras Multilaterais (Passado e Presente): Banco Mundial e Fundo Monetário Internacional. In: ROCHA, Keiti (Orgs). As Transformações no Sistema Financeiro Internacional. Brasília: IPEA, vol 2, p. 625-645.

FERNANDES, et al. 2012. A Governança Econômica Global e os Desafios do G-20 pós Crise Financeira: Análise das Posições de Estados Unidos, China, Alemanha e Brasil. Revista Brasileira de Política Internacional. Brasília, vol 2, n. 55, p. 10-27.

G20. 2008. Declaration of the Summit on Financial Markets and the World EconomyDisponível em: <http://www.g20.utoronto.ca/2008/2008declaration1115.html> Acesso em: 9 dez 2013.

______. 2009a. Declaração dos Líderes do G20 em Londres. Londres. Disponível em: < http://www.g20.utoronto.ca/2009/2009communique0402-br.html> Acesso em: 12 dez 2013.

______. 2009b. Declaração dos Líderes na Cúpula de Pittsburgh. Pittsburgh. Disponível em: < http://www.g20.utoronto.ca/2009/2009communique0925-br.html> Acesso em: 20 dez 2013.

______. 2012. G20 Leaders Declaration. Los Cabos. Disponível em: <http://www.g20.utoronto.ca/2012/2012-0619-loscabos.html> Acesso em: 22 dez 2013.

______. 2013a. G20 Leaders Declaration. São Petersburgo. Disponível em: <http://www.g20.utoronto.ca/2013/2013-0906-declaration.html> Acesso em: 22 dez 2013.

______. 2013b. St. Petersburg Action Plan. São Petersburgo. Disponível em: <http://www.g20.utoronto.ca/2013/2013-0906-plan.html> Acesso em: 22 dez 2013

IMF. Out 2010. IMF Quota and Governance Reform: Elements of Agreement. Washington: IMF. Disponível em: <http://www.imf.org/external/np/pp/eng/2010/103110. pdf>. Acesso em 12 nov 2012

______. Set. 2013. Factsheet: IMF’s Response to the Global Economic Crisis. Washington: IMF. Disponível em <http://www.imf.org/external/np/exr/facts/changing.htm>. Acesso em 10 out. 2013

______. Out 2013. Factsheet: IMF Standing Borrowing Arrangements. Washington: IMF. Disponível em: <http://www.imf.org/external/np/exr/facts/gabnab.htm> Acesso em 11 nov 2013.

______. Jan. 2014. Acceptances of the Proposed Amendment of the Articles of Agreement on Reform of the Executive Board and Consents to 2010 Quota Increases. Washington: IMF. Disponível em: <http://www.imf.org/external/np/sec/misc/consents.htm> Acesso em 25 jan 2014.

LAGARDE, Christine. 2012. Fragmentation Risks: the Benefits of Globalization Must be Preserved by Enhancing the International Structure that Ensure Financial Stability. Finance & Development, Washington, vol. 49, n.3

______. 2014. A new multilateralism for the 21st century: Richard Dimblebly Lecture. Disponível em: <http://www.imf.org/external/np/speeches/2014/020314.htm> Acesso em 3 de setembro de 2014.

MOSCHELLA, Manuela. 2010. Governing Risk: The IMF and Global Financial Crisis. Hampshire: Palgrave MacMillan.

VESTERGAARD, Jakob. 2011. The G20 and Beyond: Towards Effective Global Economic Governance. [DIIS Report 2011:4] Copenhagen: DIIS.

______; WADE, Robert. 2011. The New Global Economic Council: Governance Reform at the G20, the IMF and the World Bank. [DIIS Working Paper 2011:25] Copenhagen: DIIS.

______; ______. 2013. The West Must Allow a Power Shift in International Organizations. [DIIS Policy Brief] Copenhagen: DIIS. Disponível em: <http://en.diis.dk/home/news/2013/the+west+must+allow+a+power+shift+in+international+organizations> Acesso em 8 de Janeiro de 2013.

VIÑAIS, José. 2014. Finish the Job on Financial Regulation. Disponível em <http://www.imf.org/external/np/speeches/2014/020314.htm > Acesso em 3 de setembro de 2009.

WOODS, Ngaire. 2010. Global Governance after the Financial Crisis: a New Multilateralism or the Last Gasp of the Great Powers? Global Policy. Londres, vol. 1, n. 1, jan.

______. Oct. 2010. The G20 Leaders and Global Governance. [GEG Working Paper 2010/59] Oxford: Global Economic Governance Programme,

Como Citar
Capinzaiki, M. R., & Coelho, J. C. (1). Desdobramentos da crise financeira de 2007-08: reforma da arquitetura financeira tradicional e inovações no desenho institucional do regime financeiro internacional. Carta Internacional, 9(1), 144-160. Recuperado de https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/146
Seção
Artigos