Antagonismo, Equivalência, Logocentrismo: uma análise do discurso sobre as “novas guerras”

  • Aureo de Toledo Gomes Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: segurança internacional, novas guerras, teoria do discurso

Resumo

Mediante a teoria do discurso de Ernesto Laclau e com base nas contribuições de Kalevi Holsti e Mary Kaldor, o artigo analisa o debate sobre as causas das novas guerras. A hipótese é que esse discurso foi construído de forma logocêntrica: ao enfatizar a análise das estruturas estatais para a compreensão das guerras de terceiro tipo, Holsti reforça uma narrativa eurocêntrica sobre a formação dos Estados; já Kaldor, partindo da ideia da política identitária como uma das causas das novas guerras, naturaliza uma visão depreciativa sobre a identidade daqueles considerados responsáveis por tais conflitos.Recebido em: 21 jan. 2014Aprovado em: 01 out. 2014

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aureo de Toledo Gomes, Universidade Federal de Uberlândia
Possui graduação em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004), mestrado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2008) e doutorado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2012). Atualmente é professor adjunto nível 1 da Universidade Federal de Uberlândia. Tem experiência na área de Relações Internacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise do Discurso aplicada à Relações Internacionais, Teoria de Relações Internacionais (sobretudo abordagens pós-estruturalistas e pós-colonialistas) e Segurança Internacional (sobretudo temas relativos às operações de peacebuilding e state-building)

Referências

BILGIN, Pinar.; MORTON, Adam. 2007. Rethinking State Failure: the Political Economy of Security. In: LAMBACH, D.; DEBIEL, T. (org.). State Failure Revisited I: Globalization of Security and Neighborhood Effects. INEF REPORT 87.

BLANEY, David; INAYATULLAH, Naaem. 2002. Neomodernization?: IR and the Inner Life of Modernization Theory. European Journal of International Relations, vol. 8, n. 1, p. 103-137.

BROWN, Michael.; LYNN-JONES, Sean; MILLER, Steven. 1996. Debating the Democratic Peace. Cambridge: MIT Press.

FREIRE, Danilo. 2011. Entre Urnas e Armas: a competitividade do poder executivo e as guerras civis, 1976 – 2000. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Departamento de Ciência Política. USP.

FUKUYAMA, Francis. 1992. The End of History and the Last Man. New York: The Free Press.

GLENNY, Misha. 1996. The Fall of Yugoslavia: the Third Balkan War. New York: Penguin Books.

GROVOGUI, Siba. 2002. Regimes of Sovereignty: International Morality and the African Condition. European Journal of International Relations, vol. 8, n. 3, p. 315-338.

GURR, Ted R. 1970. Why Men Rebel. New York: Paradigm Publishers.

HOLSTI, Kalevi. 1996. The State, War, and the State of War. New York: Cambridge University Press.

HUNTINGTON, Samuel. 1996. O Choque de Civilizações e a Recomposição da Ordem Mundial. Rio de Janeiro: Objetiva.

JACKSON, Robert. 1990. Quasi-States: Sovereignty, International Relations and the Third World. Cambridge: Cambridge University Press.

KALDOR, Mary. 1999. New and Old Wars: organized violence in a Global Era. Stanford: Stanford University Press.

KALDOR, Mary. 2013. In defence of new wars. Stability, vol. 2, n. 1, p. 1-16.

KALYVAS, Sthatis. 2001. New and Old Wars: a Valid Distinction? World Politics, vol. 54, n. 1, p. 99-118.

KALYVAS, Sthatis. 2006. The Logic of Violence in Civil Wars. Cambridge: Cambridge University Press.

LACLAU, Ernesto. 1993. Nuevas Reflexiones sobre la Revolucion de Nuestro Tiempo. Buenos Aires: Nueva Vision.

LACLAU, Ernesto. 2011. Emancipação e Diferença. Rio de Janeiro: EDUERJ.

LACLAU, Ernesto; BASKHAR, Roy. 2003. Discourse Theory vs. Critical Realism. Aletheia, nº 2, p. 9-14.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. 1985. Hegemony and the Socialist Strategy: towards a radical democratic politics. London: Verso.

MENDONÇA, Daniel. 2009. Como olhar “o político” a partir da teoria do discurso. Revista Brasileira de Ciência Política, nº 1, p. 153-169.

NEWMAN, Edward. 2004. The ‘New Wars’ Debate: a Historical Perspective is needed. Security Dialogue, vol. 35, n. 2, p. 173-189.

RAE, Heather. 2002. States Identities and Homogenisation of Peoples. Cambridge: Cambridge University Press.

Como Citar
Gomes, A. de T. (1). Antagonismo, Equivalência, Logocentrismo: uma análise do discurso sobre as “novas guerras”. Carta Internacional, 9(1), 44-58. Recuperado de https://www.cartainternacional.abri.org.br/Carta/article/view/83
Seção
Artigos